terça-feira, 26 de maio de 2015

25 de Maio - Santa Maria Madalena de Pazzi


Batizada com o nome de Catarina, ela nasceu no dia 2 de abril de 1566, crescendo bela e inteligente em sua cidade natal, Florença, no norte da Itália. Tinha a origem nobre da família Pazzi, com acesso tanto à luxúria quanto às bibliotecas e benfeitorias da corte dos Médici, que governavam o ducado de Toscana. Sua sensibilidade foi atraída pelo aprendizado intelectual e espiritual, abrindo mão dos prazeres terrenos, o luxo e as vaidades que a nobreza proporcionava.


Recebeu a primeira comunhão aos dez anos e, contrariando o desejo dos pais, aos dezesseis anos entregou-se à vida religiosa, ingressando no convento das carmelitas descalças. Ali, por causa de uma grave doença, teve de fazer os votos antes das outras noviças, vestiu o hábito e tomou o nome de Maria Madalena.

A partir daí, foi favorecida por dons especiais do Espírito Santo, vivendo sucessivas experiências místicas impressionantes, onde eram comuns os êxtases durante a penitência, oração e contemplação, originando extraordinárias visões proféticas. Para que essas revelações não se perdessem, seu superior ordenou que três irmãs anotassem fielmente as palavras que dizia nessas ocasiões.

Um volumoso livro foi escrito com essas mensagens, que depois foi publicado com o nome de "Contemplações", um verdadeiro tratado de teologia mística. Também ela, de próprio punho, escreveu muitas cartas dirigidas a papas e príncipes contendo ensinamentos e orientações para a inteira renovação da comunidade eclesiástica.

Durante cinco anos foi provada na fé, experimentando a escuridão e a aridez espiritual. Até que, no dia de Pentecostes, a luz do êxtase voltou para a provação final: a da dor física. Seu corpo ficou coberto de úlceras que provocavam dores terríveis. A tudo suportou sem uma queixa sequer, entregando-se exclusivamente ao amor à Paixão de Jesus.

Morreu com apenas quarenta e um anos, em 25 de maio de 1607, no convento Santa Maria dos Anjos, que hoje leva o seu nome, em Florença. Apenas dois anos mais tarde foi canonizada pelo papa Clemente IX. O corpo incorrupto de santa Maria Madalena de Pazzi repousa na igreja do convento onde faleceu. Sua festa é celebrada no dia de seu trânsito.

Colaboração Ir. Nilza do Carmo  

quinta-feira, 7 de maio de 2015

MES DE MAIO, MES DE MARIA!!

Motivos para celebrar o mês de Maria(Santo Afonso de Ligório)

Nossa Sra. do Rosário, Miguel Cabrera


“Mensis iste vobis principium mensium: primus erit in mensibus anni – Este més será para vós o princípio dos meses: será o primeiro dos mezes do anno” (Ex. 12, 2).

Summario. Seja qual for o estado da tua alma, sempre tens motivos especiaes para celebrar bem o mez de Maria. Se és innocente, deves faze-lo para que a divina Mãe te conserve sempre tal; se és peccador, para que te ajude a levantar-te; se és penitente, para que te obtenha a santa perseverança. Para praticares bem este santo exercício, imagina-te que terás de morrer no princípio de junho, e emprega todo o més de maio em te preparar a morte, especialmente pelo cumprimento exacto dos deveres to teu estado.

I. Mui grande é a necessidade que tens da protecção de Maria para a tua salvação. És innocente? Lembra-te que trazes o thesouro da innocencia em vasos frágeis de barro, e que estás em perigo continuo de o perderHabemus thesaurum istum in vasis fictilibus (2Cor. 4, 7). Quantos, mais innocentes do que tu , cahiram depressa em peccado e se perderam! Quantos ficaram amigos de Deus durante muitos mezes, e até annos, e em seguida perderam a graça de Deus e naufragaram exactamente quando estavam para entrar no porto! – Isto tem acontecido não só a pessoas engolfadas em negócios temporaes, nos prazeres do mundo; outras retiradas na solidão, exhaustas pelos jejuns, extenuadas pelos trabalhos, levavam vida austera e penitente, e todavia cahiram victimas infelizes do peccado, talvez por um olhar, por um pensamento! Ve, pois, que também a tua innocencia não te pode dar segurança.

És peccador? Sabe então que sem um auxílio poderoso te é impossível levantar-te do abysmo em que cahiste. O peccado tirou-te as forças: a natureza corrompida, os hábitos inveterados, as ocasiões perigosas prendem-te fortemente á terra. E quem te defenderá contra a ira de Deus, que já está talvez com a espada levantada? Quem te livrará de tantos perigos? Quem te salvará no meio de tantos inimigos?

Se porventura já te levantaste do peccado, não precisas menos de amparo. Quem te assegura que não tornarás a cahir? Quem te assegura que serás fiel até á morte? Já mais de uma vez voltaste a Deus e mais de uma vez tornaste a peccar. Ah! Se não fosse Maria, estarias talvez irreparavelmente perdido!

Pois, bem: com a devoção deste mez de Maria, podes obter o seu patrocínio e a tua salvação. Será possível que uma Mãe tão terna deixe de attender a um seu filho devoto? Se por causa de um Rosário, de um jejum Ella tem concedido favores assignalados aos mais grandes peccadores, de certo não t’os negará, se a servires durante um mez inteiro. – Mas ai de ti, se perderes a presente graça! Ai de ti se, começando bem, depois de poucos dias refrouxares! Quem sabe se não é este o último convite que Deus te faz? A última occasião para te converteres? Quem sabe se a este exercício não está ligada a tua perseverança final?... E, além disto, quem sabe se não é este o último anno, o ultimo mez da tua vida? Pensa nisto seriamente e resolve-te.

II. Seja o fructo desta meditação a mais fervorosa celebração deste mez de Maria, preparando-te para a morte como se realmente te fora revelado que o presente mez é o último da tua vida e que terás de morrer nos primeiros dias de junho. Em vez de augmentar o número dos teus exercícios de devoção, procura antes fazer acções do costume com mais perfeição, e cumprir com todo o rigor os deveres do teu estado.

Para esse fim, levanta-te logo, quando for hora de levantar, para não começar o dia com um acto de preguiça, e consagra-te inteiramente á divina Mãe. Faze a tua meditação com mais fervor, ouve cada manhã uma Santa Missa, e durante o dia, conforme o permittirem as tuas occupações, lê algum tempo sobre as Glórias de Maria, ou em outro livro espiritual; faze uma visita a Jesus sacramentado e conserva-te continuamente na presença de Deus pelo uso frequente das orações jaculatórias. Examina sobretudo a tua consciência, e, se achares alguma cousa que te possa incommodar na hora da morte, ajusta-a quanto antes por meio de uma boa confissão; e durante todo este mez guarda-te de commetter peccados veniaes plenamente deliberados. Depois, não deixes de praticar com exactidão algum obsequio especial que te proponhas fazer em honra de Maria Santíssima e invoca-a sempre em tuas necessidades, particularmente com o bello título de Mãe do Perpétuo Soccorro.

Santíssima Mãe de Deus e Mãe da misericórdia, eis-me aqui na vossa presença e na de vosso divino Filho, para vos tributar as minhas homenagens, vos louvar com a minha língua e vos venerar com o meu coração. Illuminae Senhora, o meu espírito, inflammae a minha vontade, afim de que vos possa offerecer dignamente o tributo da minha servidão, para maior glória de Deus, para honra vossa e proveito da minha alma.




(Livro: Glórias de Maria - Santo Afonso Maria de Ligório)


Colaboração Ir. Nilza do Carmo

terça-feira, 5 de maio de 2015

Revelação a Santo Angelo

Santo Ângelo, um dos mais importantes santos na Ordem do Carmo, enquanto estava no deserto, por um período de cinco anos, em que viveu totalmente solitário, recebeu a seguinte revelação de Nosso Senhor:
“Sabe Ângelo, Servo meu, a cidade de Jerusalém, a Galileia e toda a terra da promissão, Capadócia e Egito, com muitas regiões da Ásia e da África, passados poucos anos, irão de todo ao poder dos Ismaelitas (muçulmanos): as Igrejas, os Templos que tu vês agora, onde se celebram os louvores divinos, serão destruídos. e as cerimônias, costumes e observâncias dos cristãos em tudo, quase serão reduzidos a nada.
E o poder de Maomé e de seus sucessores crescerá sempre mais e atemorizará quase todas as gentes e será com isto amedrontada e molestada toda a Europa, e virá fogo, sangue, ruína e quase total destruição e haverá grande aflição e crescerá o furor e ira sobre os  filhos da ingratidão.
Estas coisas virão pela abominação daqueles que edificam Babilônia, dissipam o Santuário e sustentam o povo da maldade, ódio e rancor e o arrastam à crueldade, desonestidade, malícia e pecado.
Então Santo Ângelo disse:
“Quando, meu Senhor, isso há de suceder?
Cristo respondeu-lhe:
“Quando a Igreja, despojada de seu esplendor jazer como uma viúva: quando a Cadeira do Pontífice Romano seja posta em contradição, quando se levantarem os hipócritas com cor e pretexto de santidade e religião, defraudarem os povos, e a Igreja estiver cheia de seitas, nas quais reinarão a soberba, ambição, luxúria, com todo o esquadrão de seus filhos: quando os príncipes divididos guerrearem e um Bispo estiver contra outro, e as mulheres se tornarem ministras em lugar dos sacerdotes e quase seja tirada toda a paz do mundo, e da discórdia nasça a morte: quando os hereges prevalecerem, e a Fé estiver quase extinta e os seus pregadores se derem a vaidades e loucuras; então meu Eterno Pai mandará o seu furor e permitirá que os filhos da ingratidão sejam atormentados pelos inimigos do meu Nome. Todas estas calamidades lhes sobrevirão por seus pecados.”
E tendo Cristo dito isto, desapareceu aos olhos de Santo Ângelo em uma nuvem alvíssima. (Esta revelação se encontra na vida de Santo Ângelo, escrita por Enoc, Patriarca de Jerusalém.) Deve-nos trazer grande admiração a notícia de que uma profecia como esta, escrita no século XIII esteja se cumprindo tão perfeitamente nos nossos dias. Vemos aqui a relação entre a expansão do Islã com a crise da Cristandade.
De fato, a Igreja, agora sem o seu  esplendor, jaz como uma viúva triste e amordaçada. A Cátedra de Pedro já não se apresenta como o baluarte seguro da doutrina imutável. Vemos nestes tempos os hipócritas modernistas, com toda liberdade, sob o pretexto de uma maior pureza da religião, acabaram defraudando os povos dos seus ritos e de sua piedade e a Igreja vai se enchendo de seitas que, como várias  falsas igrejas, corroem o seu interior e dilaceram suas forças aumentando a perda das almas e a confusão.


05 de maio Santo Angelo

Ângelo da SicíliaÂngelo de Jerusalém ou Ângelo de Licata foi um santo nascido em Jerusalém em 1185. Ele nasceu de uma família judaica e foi batizado, juntamente com seu irmão João, quando sua mãe se converteu ao cristianismo .
Foi martirizado em Licata, na Sicília, a 5 de Maio de 1220 .
Aos 18 anos, entrou na Ordem do Carmo, na Palestina, e em 1213 foi ordenado aí sacerdote .
Em 1219 foi enviado a Roma para defender os interesses de sua Ordem. Dali partiu para a Sicília, a fim de converter os hereges cátaros ou albigenses.
Ele quis converter um cavaleiro cátaro chamado Berengário (Berengarius). A tradição católica afirma que ele estava vivendo em incesto e Ângelo conseguiu convencer a companheira de Berengário a deixá-lo . O cavaleiro, incensado, matou ou o fez matar em frente à Igreja de São Filipe e São Tiago, em Licata. Ele morreu dos ferimentos quatro dias após o ataque e, segundo a tradição, teria pedido o perdão do seu assassino . Ele foi enterrado na própria igreja
Ele e Santo Alberto da Sicília são considerados como que "pais" da ordem dos carmelitas, por serem os primeiros dois santos da Ordem. Está entre os primeiros que deixaram o Monte Carmelo para evangelizar.
Na Sicília, há diversos lugares que tem Santo Ângelo como padroeiro, como Sant'Angelo Muxaro.
Suas relíquias foram trasladadas para um nova igreja em Licata, a Santa Maria do Carmo. O fim da epidemia de peste no Reino de Nápoles em 1656 foi atribuída a sua intercessão

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Mês de Maio, Mês de Maria

O Carmelo é todo de Maria!

Estamos no mês dedicado especialmente a Ela, a Senhora do lugar, que no Monte Carmelo, nosso Pai Santo Elias vendo a nuvem feita mão pode contemplar a prefiguração da Santíssima Virgem, que nos tempos vindouros, na plenitude dos tempos venha ser portadora da chuva de graças e salvação do gênero humano que é Nosso Senhor Jesus Cristo.!

Viva à Imaculada Conceição da Virgem Maria, Mãe de Deus!
 

sábado, 2 de maio de 2015

Maio, Mês da Maria Santíssima

UM MÊS COM MARIA 


Pe Stefano Maria Manelli
  
clique para ampliar
Mês de maio, mês de Maria, afetuosíssima Mãe dos fiéis católicos. Assim como o mês de outubro, maio é um mês dedicado a Santíssima Virgem; tendo como centro as orações dedicadas a Ela, em especial o Santo Rosário, que nos faz meditar os Mistérios de nossa Redenção.

Trazemos as meditações do livro "Um mês com Maria", do padre Stefano Maria Manelli, um franciscano da Imaculada, nascido em 1933 e filho de filhos espirituais de Padre Pio, do qual o menino recebeu a primeira comunhão.

Uma meditação para cada dia, baseadas em escritos e histórias de santos, com pequenos votos ao final de cada uma.

Os dias ficam mais leves de serem vividos quando entregamos tudo a Ela, pois Ela entrega tudo a Cristo, como São Luís Maria Grignon de Montfort escreveu em seu Tratado de Devoção: Maria, conhecendo Seu Filho, sabe como melhor entregar nossos pedidos e agradecimentos a Cristo.  





O mês de Maria
"Eis que finalmente voltou o mês da linda Mãezinha!" Assim escreveu uma vez o padre Pio de Pietrelcina no começo do mês de Maio. É assim mesmo! Há séculos que o mês de maio é o mês de Maria por excelência, o mês da linda Mãezinha. É o mês mais lindo do ano pelo amor primaveril que o reveste; por isso é consagrado Àquela que a Igreja canta e louva como a "Toda Bela". É o mês que desabrocha perfumadas rosas no calor da ridente natureza; por isso é consagrado Àquela que a Igreja exalta como "Rosa Mística".

"Mês de maio - assim dizia o Papa Paulo VI - nós nos recordamos da alegria infantil com a qual, indo à escola, levávamos flores para o altar de Nossa Senhora; velas, cantos, orações e promessas, davam alegre expressão à nossa devoção à Maria Santíssima, que então nos aparecia como Rainha da Primavera, primavera da natureza e primavera das almas".


O mês das graças
Maio também é chamado o mês das graças e das glórias de Maria, porque nesse mês se recebem abundantes graças celebrando as glórias da Mãe e Rainha universal. Sobretudo pelos frutos espirituais que produz, o mês de maio canta as mais altas glórias de Maria, medianeira de todas as graças. São graças de todos os tipos que Ela doa amorosamente a quem celebra esse mês. Graças de progresso espiritual, de renovação de vida, de conversão; graças temporais para a saúde, para o trabalho, para os estudos, para o crescimento, para a família. Quantas graças nesse mês abençoado!

São Maximiliano Maria Kolbe, para ajudar o irmão em perigosas angústias espirituais e materiais, não achou remédio mais eficaz do que recomendar-lhe fazer o mês de maio; e lhe mandou livrinhos úteis para seguir o mês mariano dia após dia.


Um mês de maio por enganoUm jovem hebreu, Hermano Cohen, encontrando-se em Paris para estudar música, tinha-se dado ao jogo e á dissipação. Necessitando de dinheiro para satisfazer as suas brutas paixões, achou um emprego de tocador de órgão na Igreja de Santa Valéria, por todo o mês de maio. Nas primeiras vezes, ele tocava com total indiferença, como simples trabalhador. Mas, sem querer, estando ali, tinha de escutar os sermões que se faziam sobre Nossa Senhora. Dia a dia escutando, o seu espírito começou a perturbar-se e o seu coração a comover-se. No fim do mês de maio, pensou seriamente em se preparar para o batismo e se tornar Católico. E não muito tempo depois se fez batizar naquela mesma Igreja. Junto recebeu o dom da vocação religiosa; transformou-se em um religioso carmelitano e morreu em conceito de santidade. Quantas graças não recebeu ele por aquele mês de maio feito por acaso!


Pela Igreja Inteira

Fazer o mês de maio é, então, acumular graças, é resolver problemas ou situações dolorosas, é obter o patrocínio da Mãe divina. Por isso a Igreja, os Pontífices, os santos, recomendam tanto de celebrar, com devoção, os meses marianos. O Papa Paulo VI, em 1965, publicou uma Encíclica sobre o mês de maio para reafirmar expressamente que a Igreja o considera o mês mais fecundo de oração e de graças celestes para todas as necessidades para a Humanidade e para a Igreja: "Porque o mês de maio traz essa poderosa chamada a uma intensa e confiante oração e porque nele os nossos pedidos acham mais fácil acesso ao coração misericordioso da Virgem; foi feito uso pelos nossos predecessores escolher esse mês consagrado a Maria para convidar o povo cristão para orações públicas, cada vez que a Igreja o necessitasse ou que qualquer perigo ameaçasse o mundo!"


Façamo-lo bem
Não percamos essa grande ocasião de Graça! E procuremos fazer com que ninguém perca. Convidemos os nossos amigos e nos esforcemos a fazer nossos caros participar às funções do mês mariano. Maria não despedirá ninguém de mãos vazias. Lembremo-nos que Ela mesmo, aparecendo com as mãos que projetavam raios luminosos, disse a Santa Catarina Labouré: "Estes raios são o símbolo das graças que Eu estendo sobre as pessoas que mo pedem". E Santa Catarina, com o exemplo de São Felipe Néri, São Camilo, Santo Afonso Maria de Ligório e de tantos outros santos, queria que sobretudo o mês de maio se intensificasse a oração mariana, o humilde recurso Àquela que se assenta no "trono das graças, para obter misericórdia e achar graças na necessidade" (cf. Hb 4, 16). Aos pés de Maria achamos a fonte de todas as graças e da santidade.

Votos

  • Se empenhar para levar alguém à Igreja durante o mês mariano;
  • Recitar o Rosário para que muitos dediquem o mês de maio a Maria;
  • Rezar a São José, para que nos ensine nesse mês de maio a amar Nossa Senhora.
     Fonte:
    http://precantur.blogspot.com.br/
Colaboração Ir. Nilza do Carmo