sexta-feira, 31 de outubro de 2014

HALLOWEEN

O posicionamento da Igreja Católica quanto a festa do Halloween



O Vaticano fez duras críticas a  festa de Halloween, feriado de Dia das Bruxas comemorado em 31 de outubro, um dia antes do Dia de Todos os Santos, da Igreja Católica. Segundo o "Daily Mail", A instituição afirmou ser uma data "anticristã" e "perigosa", por ter ligação com o oculto.


Em um artigo intitulado "As perigosas mensagens do Halloween", o jornal oficial do Vaticano, "L'Osservatore Romano", citou o perito litúrgico Joan Maria Canals, que disse que "o Dia das Bruxas é uma corrente do ocultismo e completamente anticristão".
"L'Osservatore" elogiou uma igreja em Alcala de Henares, que decidiu realizar uma vigília de oração na noite de sábado, e também a ideia da arquidiocese de Paris de fazer um dia de imersão para as crianças, batizado de "Holywins" ("o sagrado vence", na tradução do inglês).
A Igreja Católica da Itália vê com maus olhos o crescimento da popularidade da festa de Dia das Bruxas nos últimos anos. Em 2008, o jornal "Avvenire", dos bispos italianos, apelou para um completo boicote e descreveu o Dia das Bruxas como uma "perigosa celebração do terror e do macabro". 
A Arquidiocese do México, em um artigo sobre a festa de Halloween no semanário "Desde la Fe", disse que "se procuramos ser fiéis à nossa fé e aos valores do Evangelho, teríamos que concluir que a atual festa do Hallowen não só não tem nada a ver com a celebração que deu origem, mas também é nociva e contrária à fé e a vida cristã". A Arquidiocese considera que o Halloween "rende honra a uma cultura da morte, que é produto da mescla de costumes pagãos" e o mais grave "é que a festividade foi se identificando com grupos neopagãos e celebrações satânicas e ocultistas".
No texto intitulado "Perguntas frequentes sobre o Halloween", o Arcebispado afirma que essa celebração dista muito do que devem celebrar os cristãos, por isso exortou aos fiéis a não celebrar o Halloween. Afirma ainda que em alguns países como México, Irlanda e Estados Unidos são realizadas, durante esta festa, missas negras, cultos esotéricos e outras reuniões relacionadas com o mal e o ocultismo".
O artigo também questiona o costume, principalmente entre crianças, de disfarçarem-se de bruxas, vampiros, fantasmas e monstros, e convida os pais a, no dia 1º de novembro, disfarçarem seus filhos de personagens bíblicos ou alguma pessoa que "saibam que foi boa e que, portanto, certamente estará no céu".
 
Vemos assim que a tradição de comemorar as bruxas ou outros espíritos não é cristã e deve ser evitada,
ainda que tenha apenas uma conotação folclórica. devemos sim, celebrar o dia de Todos os Santos.
 
 
Colaboração Ir. Nilza de N S do Carmo

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

PARA REFLEXÃO!

"Fazer a vontade de Deus é fazer o que Deus quer e querer o que Deus faz"

Santo Afonso de Ligório

Colaboração Irmã Zuleide de Nossa Senhora Aparecida

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A CAMINHO DO PAI

O purgatório é um lugar de sofrimento em que as almas se purificam, solvendo suas dívidas, antes de serem admitidas no céu, onde só entrará quem for puro. Sua existência se baseia no testemunho da Sagrada Escritura e da Tradição. Vários concílios o definiram como dogma; Santos Padres e Doutores da igreja o atestam a uma voz.
"Há uma prisão da qual não se sairá senão quando tiver pago o último centavo. (Mat. 18, 23-35)

COMO SÃO ESQUECIDOS OS FALECIDOS ...

A igreja, querendo que não nos esqueçamos das almas, consagrou um dia inteiro todos os anos à oração pelos finados. Determinou que em todas as missas houvesse uma recomendação e um momento especial pelos mortos. Ela aprova, sustenta e estimula a caridade pelos falecidos.
Como são esquecidos os mortos! Exclama Santo Agostinho! E no entanto acrescenta S. Francisco de Sales, em vida eles nos amavam tanto.
Nos funerais: lágrimas, soluços, flores. Depois, um túmulo e o esquecimento. Morreu...acabou-se!
Se cremos na vida eterna, cremos no purgatório, oremos pelos falecidos. O purgatório é terrível e bem longo para algumas almas.
S. Francisco de Sales tinha medo de seus admiradores. Essas pessoas, imaginando que depois da minha morte fui logo direto para o céu, me farão sofrer no purgatório.

Santa Tereza pedia: " pelo amor de Deus, eu peço a cada pessoa uma Ave-Maria, a fim de que me ajude a sair do purgatório e apresse a hora em que hei de gozar a vista de Jesus Senhor Nosso".

Não canonizemos depressa nossos mortos. Nunca nos descuidemos do sufrágio deles, porque já o fizemos durante algum tempo, ou mandamos celebrar algumas missas. Ignoramos o rigor da justiça Divina.

Vós que viveis na terra e tão facilmente vos comoveis ante o sofrimento e a ideia do abandono, ouvi as almas do purgatório pedindo-vos uma migalha desse pão que Deus vos dá com tanta abundância: uma pequena parte de vossas orações, boas obras, e sofrimentos! Como são justas as queixas que um religioso ouviu desses pobres corações abandonados.

"Ó irmãos! Ó amigos! Pois que há tanto tempo vos aguardamos, e vós não vindes; vos chamamos e não respondeis; sofremos tormentos que não tem iguais, e vos compadeceis; gememos e não consolais".
Aí, dizia uma alma, ignora-se no mundo que o fogo do purgatório é semelhante ao do inferno. Se possível fosse fazer uma visita a essas mansões de dor, não haveria na terra, quem quisesse cometer um só pecado venial, visto o rigor com que é punido.

São Francisco Xavier percorria, à noite, as ruas da cidade, convocando com uma campainha, o povo a orar pelas almas.

Colaboração Irmã Nilza de Nossa Senhora do Carmo