domingo, 20 de julho de 2014

Solenidade de Santo Elias 20 de julho

Desde o tempo do rei de Israel Acab, como nos dizem os sagrados historiadores, começou a reinar nessas décadas anteriores à Encarnação de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Pois, durante o reinado deste Acab, rei de Israel e em seu domínio, viveu um grande Profeta, chamado Elias, nascido em Tésbis, na região de Galaad, pertencente à tribo de Aarão e filho de Sobac. Por ser natural de Tésbis, Elias era conhecido com o nome de Tesbita.
Elias habitou mais tarde na cidade de Galaad, assim chamada pelo monte em que ela está situada, como se chamou também Galaad a região que está na outra parte do Jordão, porém vizinha com o monte e que tocou em sorte à tribo de Manassés.
 
Elias o primeiro monge, instituiu a vida monástica por inspiração de Deus. Do retiro de Elias no deserto. Do duplo fim da vida eremítica.
 
Este Elias, Profeta de Deus, foi o primeiro de todos os monges que têm existido e nele teve princípio a santa e gloriosa instituição monacal.
Com a ânsia que sentia pela divina contemplação e o veemente desejo de adiantar-se na virtude, se foi para longe das cidades e despojando-se de todos os interesses terrenos e mundanos, se propôs começar a viver a Vida Eremítica, religiosa e Profética, consagrando-se a ela, como nenhum até então, o havia feito. Com a inspiração e impulso do espírito Santo, começou a vive-la e a instituiu.
Aparecendo-lhe o Senhor, lhe mandou fugisse dos povoados dos homens e se escondesse das gentes, no deserto e vivesse daí em diante a Vida monástica, do modo que Ele lhe havia inspirado.
 
Isto se prova claramente com as Palavras da Sagrada Escritura. Referindo-se a isto lemos no livro dos Reis: "E dirigiu o Senhor a Sua palavra s Elias dizendo: Retira-te daqui e vai para banda do oriente, e esconde-te junto da Torrente de Carit, que está defronte do Jordão. E lá beberás da Torrente; e Eu mandei aos corvos que te sustentem ali mesmo" (1 Reis 17, 2-4 ). O Espírito santo pôs em Elias um veemente desejo de executar o tão santo e tão conveniente mandato que lhe havia inspirado, e o escolheu e fortaleceu para que pusesse em obras tão desejadas promessas.
 
Os religiosos Monges Eremitas tanto mais devemos meditar cada uma destas palavras, não só no sentido literal histórico, senão no místico principalmente, e com tanta maior solicitude, quanto que nelas se encerra mais perfeita a Instituição, isto é: o modo de vida para chegar à perfeição profética e ao fim da vida religiosa eremítica.


Quando o Senhor fala a Elias, diz a qualquer religioso eremita do Antigo ao Novo Testamento: Sai daqui, isto é:
das coisas mundanas e transitórias, vai até o oriente, isto é: dirige tua guerra até a nativa concupiscência de teu corpo, e esconde-te na Torrente de Carit: não vivas nas cidades entre as pessoas, senão além do Jordão, que é viver separado dos pecados da caridade.
 
"Eis que, sobe  do mar uma pequena nuvem" (1 Reis 18, 44)
"Elias santíssimo, tu viste na pequena nuvem a imagem da futura Mãe de Deus. Procuraste ser imitador da mesma Virgem, e iniciaste teu discípulo Eliseu a seguir esta devoção. Ó seja eu digno filho teu, seja tão feliz herdeiro, concedendo-me o duplo espírito de amor á Mãe de Deus, seja na vida ou na morte, depois de Deus meu amor seja para Maria, minha Senhora" (Antiga oração carmelita).
Considerada não somente Patrona, mas também fundadora da Ordem, pois a tradição dos nossos pais diz que Elias, ao ver a nuvem, compreendeu todo o mistério de Maria, inclusive de sua Imaculada Conceição. Teve, portanto a inspiração de viver a castidade perfeita e iniciar seus discípulos neste mesmo propósito, em honra daquela que seria a Mãe de Deus sempre Virgem. Daí dizermos que a Ordem surgiu para honrar Maria.
A capa branca inclusive é um anúncio simbólico de que Maria é Imaculada e que procuramos imitar sua pureza.

SALVE MARIA!