sábado, 29 de junho de 2013

São Pedro e São Paulo!!!


Depois da Virgem Santíssima e de São João Batista, Pedro e Paulo são os santos que têm mais datas comemorativas no ano litúrgico. Além do tradicional 29 de Junho, há: 25 de Janeiro, quando celebramos a conversão de São Paulo; 22 de Fevereiro, quando temos a festa da cátedra de São Pedro; e 18 de Novembro, reservado à dedicação das basílicas de São Pedro e São Paulo.

Antigamente, julgava-se que o martírio dos dois apóstolos tinha ocorrido no mesmo dia e ano e que seria a data que hoje comemoramos. Porém o martírio de ambos deve ter ocorrido em ocasiões diferentes, com são Pedro, crucificado de cabeça para baixo, na colina Vaticana e são Paulo, decapitado, nas chamadas Três Fontes.

Mas não há certeza quanto ao dia, nem quanto ao ano desses martírios. A morte de Pedro poderia ter ocorrido em 64, ano em que milhares de cristãos foram sacrificados após o incêndio de Roma, enquanto a de Paulo, no ano 67. Mas com certeza o martírio deles aconteceu em Roma, durante a perseguição de Nero.

Há outras raízes ainda envolvendo a data. A festa seria a cristianização de um culto pagão a Remo e Rômulo, os mitológicos fundadores pagãos de Roma.

São Pedro e São Paulo não fundaram a cidade, mas são considerados os “Pais de Roma”. Embora não tenham sido os primeiros a pregar na capital do império, com seu sangue “fundaram” a Roma cristã. Os dois são considerados os pilares que sustentam a Igreja tanto por sua fé e pregação como pelo ardor e zelo missionários, sendo glorificados com a coroa do martírio, no final, como testemunhas do Mestre.

São Pedro é o apóstolo que Jesus Cristo escolheu e investiu da dignidade de ser o primeiro papa da Igreja. A ele Jesus disse: “Tu és Pedro e sobre esta pedra fundarei a minha Igreja”. São Pedro é o pastor do rebanho santo, é na sua pessoa e nos seus sucessores que temos o sinal visível da unidade e da comunhão na fé e na caridade.

São Paulo, que foi arrebatado para o colégio apostólico de Jesus Cristo na estrada de Damasco, como o instrumento eleito para levar o seu nome diante dos povos, é o maior missionário de todos os tempos, o advogado dos pagãos, o “Apóstolo dos Gentios”.

São Pedro e são Paulo, juntos, fizeram ressoar a mensagem do Evangelho no mundo inteiro e o farão para todo o sempre, porque assim quer o Mestre.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

(Imitação de Cristo)


"Cada dia devemos renovar nosso propósito e exercitar-nos a maior fervor, como se esse fosse o primeiro dia de nossa conversão, dizendo: Confortai-me, Senhor, meu Deus, no bom propósito e em vosso santo serviço; concedei-me começar hoje deveras, pois nada é o que até aqui tenho feito."(Imitação de Cristo)

Os pais do Deserto e a espiritualidade monástica!

"Antão voltou como de costume à sua própria cela e intensificou as práticas ascéticas. Dia por dia suspirava na meditação das moradas celestiais (cf Jo 14,2), com todo anelo, vendo a breve existência do homem. Ao pensamento da natureza espiritual da alma, envergonhava-se quando devia dispor-se a comer ou dormir ou a executar outras necessidades corporais."


à PAIS DO DESERTO: São Monges que aprofundaram a espiritualidade monástica. Viveram nos primeiros séculos do Cristianismo.
            Esses homens que viviam no deserto, em penitência, foram o alicerce para a estrutura monástica da Igreja e muitos leigos se incentivaram ao aprofundamento da vida espiritual através deles. Um exemplo é Santo Antão (ou Santo Antônio do Deserto), Abade do Deserto.
            Eles primeiro se formavam monges através de um Pai espiritual. Os Abades eram esses Pais espirituais dos monges. Santo Antão viveu dos 18 aos 105 anos nessa vida de solidão e formava alguns discípulos.

            Esse abade viveu na época do concilio de Nicéia, onde quase 80% dos Bispos tinham se deixado levar pela heresia Ariana, que diz que não se pode dizer que o Pai é o mesmo que o Filho. Assim como Jesus é menor que o Pai. O Pai é criatura e o filho criado. Muitos Bispos foram exilados e monges mortos. ß (Por Frei Tiago de São José)

Por que o fascínio pelo deserto?


" O deserto simboliza o silêncio, o misterioso. Tem vida e morte, frio e calor. É lá que se dá a luta entre Deus e Satanás, é lá que se deve combater o demônio e encontrar a Deus."

Vamos ensinar nossas crianças!!!!


quinta-feira, 27 de junho de 2013

27.06 Nossa Senhora do Perpétuo Socorro!

“Louvada, amada, invocada, bendita eternamente sejais, ó Senhora do Perpétuo Socorro, minha esperança, meu amor, minha mãe, minha felicidade e vida minha. Assim seja.” (Sto. Afonso Maria de Ligório).


Vários nomes foram dados a esse quadro: Virgem da Paixão”, “A Madona de Ouro”, “A Mãe dos Lares Católicos”, “A Mãe dos Missionários Redentoristas”. O nome escolhido pela própria Virgem Maria é “Mãe do Perpétuo Socorro”. É também o nome pelo qual o Papa Pio IX pediu aos missionários redentoristas que a fizessem conhecida no mundo inteiro. Sua história é a história de como Deus orienta os acontecimentos humanos para os desígnios divinos.
Pouco se sabe sobre o autor e a origem do quadro da Virgem do Perpétuo Socorro, o que se imagina é que tenha sido pintado por um artista grego, devido às inscrições, na parte superior do quadro, onde temos as letras gregas que significam “Mãe de Deus”
O que mais nos impressiona no quadro é a figura do menino, que encontra no colo de sua mãe o seu socorro. No quadro, o Menino Jesus contempla um dos anjos, que respectivamente seguram nas mãos os instrumentos prefigurativos dos sofrimentos futuros da Paixão e Morte do Salvador: lança, vara com a esponja, o cálice com fel, cruz e cravos.
Ao correr para os braços de sua mãe, o Menino Jesus deixa dependurado o cadarço de sua sandália, a nos indicar que até mesmo no último momento devemos estar ligados a ele e a sua Mãe, como o definitivo socorro.
Quanto a Maria, seu olhar é grandioso a nos fitar com ternura, ela toma as mãozinhas do seu menino e nos apresenta como seu e o nosso Perpétuo Socorro..
Conta-se que um rico comerciante em viagem pela região da Ilha de Creta, ao contemplar o quadro em uma igreja, não se conteve, e o furtou trazendo-o para Roma. O fato deixou a população da ilha entristecida.
Quando o comerciante faleceu a Virgem apareceu a uma menina, filha da mulher que guardava o quadro em casa. Nossa Senhora pediu que o quadro fosse entronizado na Igreja de São Mateus e que lá fosse invocada como mãe do Perpétuo Socorro.
Esteve o milagroso quadro em poder dos Agostianos, depois dos Redentoristas, e, no ano de 1866, foi introduzido na igreja de Sto. Afonso. O Santo Padre Papa Pio IV recomendou aos filhos de Santo Afonso Maria de Ligório(Redentoristas): “Fazei que o mundo conheça o Perpétuo Socorro”.
No Brasil, a devoção chegou no ano de 1893.
O quadro por si só fala mais que muitos livros; incontáveis são os favores daquela expressão de fé, e manifestação do perpétuo amor de Deus.
“Elevo meus olhos para o monte de onde virá o meu socorro [...] o meu socorro vem do Senhor...”.

As artimanhas do demônio!



A Igreja nos ensina que os demônios são anjos que foram criados bons, mas que se tornaram maus por própria culpa, por orgulho e soberba; eles não são oniscientes, nem onipresentes e nem onipotentes, mas têm poderes de anjos, puros espíritos. Eles podem influenciar a nossa imaginação com pensamentos maus; é a tentação. Eles não tem capacidade para ler os nossos pensamentos, mas são muito inteligentes e podem deduzir o que estamos pensando em face de nossas atitudes. Sobre eles o Catecismo nos diz o seguinte:

§395 – Contudo, o poder de Satanás não é infinito. Ele não passa de uma criatura, poderosa pelo fato de ser puro espírito, mas sempre uma criatura: não é capaz de impedir a edificação do Reino de Deus. Embora Satanás atue no mundo por ódio contra Deus e seu Reino em Jesus Cristo, e embora a sua ação cause graves danos – de natureza espiritual e, indiretamente, até de natureza física – para cada homem e para a sociedade, esta ação é permitida pela Divina Providência, que com vigor e doçura dirige a história do homem e do mundo. A permissão divina da atividade diabólica é um grande mistério, mas “nós sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam” (Rm 8,28).

§414 – Satanás ou o Diabo, bem como os demais demônios, são anjos decaídos por terem se recusado livremente a servir a Deus a seu desígnio. Sua opção contra Deus é definitiva. Eles tentam associar o homem à sua revolta contra Deus.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Meditando o Evangelho- Por Frei Tiago de São José (Programa "A Hora da Misericórdia - Rádio Luz - Paraguay)

 Em seguida, os discípulos o interrogaram: Por que dizem os escribas que Elias deve voltar primeiro?Jesus respondeu-lhes: Elias, de fato, deve voltar e restabelecer todas as coisas. Mas eu vos digo que Elias já veio, mas não o conheceram; antes, fizeram com ele quanto quiseram. Do mesmo modo farão sofrer o Filho do Homem. Os discípulos compreenderam, então, que ele lhes falava de João Batista.” – Mateus 17; 10-13



"E quanto mais as coisas estão nessa confusão geral, em que as pessoas não tem mais noção, não podem mais confiar em governos, na justiça, porque todos os ambientes, todas instituições, órgãos públicos, tudo ficou corrompido, contaminado, entorpecido. Por isso as pessoas estão na completa desordem. Os filhos não respeitam os pais. Os pais não tem noção da santidade do matrimônio, as pessoas não sabem mais o que é assumir uma Missão dada por Deus, Tudo isso por causa dessa desordem do tempo em que estamos vivendo. E COMO VAMOS SUPERAR ISSO? COMO VENCER ESSE MOMENTO? COMO PASSAR PRA FRENTE, MUDAR DE FASE, ENTRAR NUM NÍVEL MELHOR DE VIDA? E Jesus nos responde assim “Elias vem para por tudo em ordem”. Então que venha Elias, que venha por tudo em ordem. Acabe com a desordem, a desonestidade, a injustiça, a maldade, o erro e a maldição, tudo que nós chamamos de mal. Aquilo que nos causa o mal, que destrói, mata e faz perder. Que venha Elias e que as graças de Deus nos conceda essa libertação rápido!!" ( Por Frei Tiago de São José)

terça-feira, 25 de junho de 2013

PARA REFLETIR!!!!



Um homem sussurrou: Deus fale comigo.
E um rouxinol começou a cantar
Mas o homem não ouviu.
Então o homem repetiu:
Deus fale comigo!
E um trovão ecoou nos céus
Mas o homem foi incapaz de ouvir.
O Homem olhou em volta e disse:
Deus deixe-me vê-lo
E uma estrela brilhou no céu
Mas o homem não a notou.
O homem começou a gritar:
Deus mostre-me um milagre
E uma criança nasceu
Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.
Então o homem começou a chorar e a se desesperar:
Deus toque-me e deixe-me sentir que você está aqui comigo...
E uma borboleta pousou suavemente
Em seu ombro
O homem espantou a borboleta com a mão e desiludido
Continuou o seu caminho triste, sozinho e com medo.
Até quando teremos que sofrer para compreendermos
Que Deus está sempre aonde está a vida?
Até quando manteremos nossos olhos e nossos
Corações fechados para o milagre da vida que se apresenta

Diante de nós em todos os momentos?

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Para refletir. Você anda reclamando de sua cruz?


Por São Francisco de Sales



"Guarda-te cuidadosamente das vaidades e afetações, das curiosidades e das modas levianas. Observa as regras da simplicidade e modéstia, que são, indubitavelmente, o mais precioso ornamento da beleza e a melhor escusa da fealdade...para mim eu desejava que uma pessoa devota fosse sempre a mais bem vestida duma reunião, mas a menos pomposa e afetada, e que fosse ornada, como se lê nos Provérbios de graça, de decência e dignidade" - São Francisco de Sales

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Santa Teresa D'Avila e a Oração!



"Quem começou a rezar não deve interromper a oração, em que pesem os pecados cometidos. Com a oração poderá logo soerguer-se, ao passo que sem ela ser-lhe-á muito difícil. Não deixe que o demônio o tente a abandonar a oração por humildade"

"O único desejo ardente de quem quer entregar-se à oração deve ser o de fazer todo o possível para decidir-se e melhor dispor-se para conformar a sua própria vontade àquela de Deus"

"A oração não é senão um fato de amor, e é insensato pensar que só se faz oração quando se dispõe de tempo e solidão"

"Quando é o coração que reza, Ele sem dúvida nos atende"

"Rezar pelos que estão em pecado mortal é uma esmola muito grande"

Meditando ...



“ Caríssimos: Humilhai-vos,pois, debaixo da poderosa mão de Deus, para que Ele vos exalte no tempo oportuno. Confiai-lhe todas as vossas preocupações, porque ele tem cuidado de vós. Sedes sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar. Resisti-lhe fortes na fé. Vós sabeis que os vossos irmãos, que estão espalhados pelo mundo, sofrem os mesmos padecimentos que vós. O Deus de toda graça, que vos chamou em Cristo à sua eterna glória, depois que tiverdes padecido um pouco, vos aperfeiçoará, vos tornará inabaláveis, vos fortificará. A ele o poder na eternidade. AMÉM!” – 1Pedro 5; 6-10

Os Medos diminuem quando a FÉ aumenta!!!

“ Pois para mim você vale muito. Você...que eu amo. Não tenha medo, pois eu estou com você.” – Isaías 43, 4b-5a


            Quando sua fé em Deus é grande, seus medos diminuem. Mas quando sua fé diminui, os medos aumentam, crescem e vão ocupando cada canto do seu coração.
            Jesus sempre falava para seus discípulos não terem medo. Assim foi diante da tempestade que os ameaçava no mar da Galileia e quando apareceu ressuscitado ao grupo que estava escondido e amedrontado.
            QUAL O TAMANHO DA SUA FÉ? Se for do tamanho de uma semente, ela crescerá e se tornará uma grande árvore – Foi Jesus mesmo quem disse.
             Pense que Jesus curando cegos, paralíticos e leprosos, ressuscitando mortos e expulsando demônios e sua fé crescerá.
            Você sentirá a presença do poder de Deus em sua vida. Seus medos não mais causarão sustos, porque você perceberá os milagres que Deus fará por causa da sua fé.

            Deus ama você. Confie nesse amor e seus medos não controlarão você. Confie em Deus. Ele está com você. Suas tempestades serão acalmadas, suas feridas serão curadas, para não deixar que esse amor de Deus esfrie em seu coração.
(coleção Mensagens do Padre Marcelo Rossi - Lições da Bíblia para o dia-a-dia)

sexta-feira, 14 de junho de 2013

14.06 - SANTO ELISEU!



Ele foi discípulo e sucessor do profeta Elias e viveu no século IX antes de Cristo. Sua profecia se fez ouvir em Israel, durante os reinados de Ocozias, Jorão, Jéu, Joás e Joacaz. Estava arando o seu campo quando o profeta Elias o chamou. Acompanhou Elias até o final de sua vida, recebendo dele seu espírito profético, simbolizado por um manto.
Exerceu um papel importante na história de seu povo, tomando parte ativa nos acontecimentos de seu tempo. Foi sem dúvida um grande taumaturgo, uma personalidade forte, influente e de grande habilidade política.
Dele diz o Eclesiástico: - Tal foi Elias, que foi envolvido num turbilhão.
Eliseu ficou repleto do seu espírito durante sua vida nenhum chefe o pôde abalar, ninguém o pôde subjulgar.
Nada era muito difícil para ele: - até morto profetizou.
Em vida fez prodígios morto, ações maravilhosasas.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Meditando o Evangelho com Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia", Rádio Luz, Santa Rita - Paraguay.

“Ao sair de Jericó, uma grande multidão o seguiu. Dois cegos, sentados à beira do caminho, ouvindo dizer que Jesus passava, começaram a gritar: Senhor, filho de Davi, tem piedade de nós!A multidão, porém, os repreendia para que se calassem. Mas eles gritavam ainda mais forte: Senhor, filho de Davi, tem piedade de nós! Jesus parou, chamou-os e perguntou-lhes: Que quereis que eu vos faça? Senhor, que nossos olhos se abram! Jesus, cheio de compaixão, tocou-lhes os olhos. Instantaneamente recobraram a vista e puseram-se a segui-lo.” – Mateus20: 29-34



            "Cidade de Jericó representa as coisas que existem no mundo, como diz o Apóstolo São João “Filhinhos, Não ameis o mundo, nem aquilo que há no mundo”, porque de fato, o mundo nos apresenta muitas seduções, mas, todos os caminhos do mundo nos afastam de Deus. Seja o caminho da mentira, da impureza, da ambição, da vaidade, das diversões, todos os caminhos do mundo. E apesar de serem diferentes, todos eles nos afastam de Deus.
Esses cegos ficaram contaminados, cegos segundo a alma, aqueles mesmo que estavam cegos segundo o corpo, podemos dizer que na nossa leitura espiritual são cegos segundo a alma, são pessoas que não conseguem ver as coisas segundo a fé!
Muitas pessoas são cegos, só enxergam as coisas materiais, aquilo que está na frente dos olhos, veículos, casas, campos, nada mais do que isso, não conseguem ver Deus, as coisas espirituais. E é por isso que podemos chamar de cegos, porque Deus nos deu a visão espiritual. Se você explica pra uma criança de 5 anos, que existe Deus e os anjos ela imediatamente acredita nisso, porque nós nascemos com a capacidade de enxergar as coisas espirituais. Mas à medida que as pessoas se contaminam com a mentalidade de Jericó, a mentalidade do mundo, o apego as coisas materiais, essas pessoas não acreditam mais, e não faz mais falta. Acham que a vida é muito boa longe de Deus. Pra eles não faz questão ficar sem receber Jesus e faltar a Missa de domingo. Porque eles não precisam de nada voltado a espiritualidade, porque eles vivem segundo a carne.
Mas acontece que numa certa hora essas pessoas vão sentindo falta, as coisas começam a dar errado, o demônio começa a perturbar a vida dessas pessoas.

O que resolve a pessoa ter os Sacramento, se não vive conforme o Sacramento? O Evangelho diz que eles estavam sentados no meio do caminho, o que significa a imagem de pessoas que não vão à frente na vida, que passam anos sem progredir, só sentados no caminho sem rumo sem direção, sem ideal, sem força para seguir, mas JESUS PASSOU NAQUELE CAMINHO, e eles começaram a pedir. A multidão, porém repreendia para que se calassem porque muitas vezes as pessoas começam a implorar a graça de Deus, e a multidão dos demônios que estão ao redor de nós, dizendo “não reze, não vá a Missa”, essa Multidão está sempre gritando. E você tem que se decidir: ouvir a multidão, a tentação, a voz maligna dizendo pra você parar de buscar a Deus, ou Seguir a Deus intensamente." (Por Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia" 13/06/13)

13.06 - Santo Antonio de Pádua!


Protetor dos pobres, o auxílio na busca de objetos ou pessoas perdidas, o amigo nas causas do coração. Assim é Santo Antônio de Pádua, frei franciscano português, que trocou o conforto de uma abastada família burguesa pela vida religiosa.  “Doutor da Igreja”, “Martelo dos Hereges”, “Doutor Evangélico”, “Arca do Testamento”, “Santo de todo o mundo” – são alguns dos títulos com que os Soberanos Pontífices honraram aquele cuja vida foi, no dizer de um de seus biógrafos, um milagre contínuo.
É o santo dos milagres, tal a quantidade de fatos extraordinários e sobrenaturais, obtidos através de sua oração, que acompanhavam a sua pregação. Sua língua está miraculosamente conservada em Pádua, há 775 anos. A sua devoção no Brasil foi uma rica herança dos portugueses.
Natural de Lisboa onde nasceu em 15 de agosto 1195, Ele era o filho único herdeiro dos nobres Martinho de Bulhões e Teresa Taveira, o futuro santo recebeu no batismo o nome de Fernando. De boa índole, inclinado à piedade e às coisas santas, sua formação espiritual e intelectual foi confiada aos cônegos da Catedral de Lisboa por seu pai, oficial no exército de D. Afonso. Reservado, Fernando preferia a solidão das bibliotecas e dos oratórios às discussões religiosas.

Segundo alguns de seus biógrafos, na adolescência Fernando foi acometido por violenta tentação contra a pureza. Para aplacá-la, estando na catedral, o jovem traçou uma cruz com os dedos, numa coluna de mármore, ficando nela impressa como em cera. Avaliando nessa ocasião os perigos que corria, o adolescente quis entrar para o mosteiro de São Vicente de Fora, dos Clérigos Regulares de Santo Agostinho, nos arredores da capital portuguesa, quando contava 19 anos de idade.

Ali permaneceu dois anos, findos os quais, por ser muito procurado por parentes e amigos, pediu aos superiores que o transferissem para o mosteiro Santa Cruz de Coimbra, casa-mãe do Instituto.
Foi ordenado sacerdote em 1220. Frei Fernando, entretanto, almejava abraçar um gênero de vida mais perfeito e mais de acordo com suas íntimas aspirações.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Pedidos, Orações, Súplicas e Ações de Graças!

“ Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver uma vida calma e tranquila, com toda a piedade e honestidade. Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade.” – 1Timóteo 2: 1-4


Podemos fazer pedidos, orações, suplicas e ações de graças. Nos pedidos, pedimos algo material; orações algo que apresentamos a Deus no sentido de que Deus encaminhe a vida daquela pessoa, súplicas já é algo mais forte, pessoas que estão se entregando ao demônio, e ações de graças, são agradecimentos em favor de todos os homens.(Por Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia" 12/06/13).

Meditando o Evangelho !

“João replicou: Ninguém pode atribuir-se a si mesmo senão o que lhe foi dado do céu.  Vós mesmos me sois testemunhas de que disse: Eu não sou o Cristo, mas fui enviado diante dele. Aquele que tem a esposa é o esposo. O amigo do esposo, porém, que está presente e o ouve, regozija-se sobremodo com a voz do esposo. Nisso consiste a minha alegria, que agora se completa.  Importa que ele cresça e que eu diminua. “- João 3:27-30.


       " Enquanto Maria é a primeira vocacionada do Novo testamento, podemos dizer que João é o primeiro vocacionado do Antigo Testamento, dia 24/06 é o dia de São João Batista. João foi um homem totalmente impregnado do amor Divino, vivia consumido pelo zelo da Glória de Deus e conseguiu tanta graça espiritual através de uma constante oração unida a penitencia e Jejum, porque não há progresso espiritual sem penitencia e sem jejum, que é uma regra muito firma na tradição da Igreja! Então você precisa entrar numa lógica de voltar-se para Deus e é por isso que apresentamos a figura de São João Batista.
      “Ninguém pode dar aquilo que não tem”. Hoje em dia tem muitas pessoas que não tem nada de Deus e que estão falando de Deus querendo vender Deus para as pessoas, pessoas que abrem as Igrejas, que fazem as pessoas irem atrás delas, atrás de bênçãos, de graças, sendo que não tem nem pra eles mesmos. Pois falam apenas do que não conhecem. A pessoa para falar de Deus primeiro deve conhecer a Deus e entender o sentido do Evangelho e não se admite que a pessoa fale do Evangelho e ao mesmo tempo queira conquistar bens materiais. Porque o Evangelho não foi nos dado para tornarmos pessoas felizes no molde desse mundo. A felicidade desse mundo consiste no dinheiro, nas coisas materiais, consiste numa realização simplesmente humana, e o Evangelho é para nós entrarmos no seguimento de Cristo, que é o seguimento da Cruz. João sabia disso, foi para o deserto para escutar a palavra de Deus no seu coração. E entender o sentido das coisas eternas por isso se consagrou e viveu como consagrado desde o ventre da sua mãe. Ele é mais do que um monge, do que um profeta ou um pregador da Palavra, ele é um consagrado, um servidor do Senhor. " (Por Frei Tiago de São José- Programa "A hora da Misericórdia 12/06/13)

Junho- Mês do Sacratíssimo Coração de Jesus!

"Estamos lembrando as pessoas desta Graça que estamos vivendo neste mês, considerado o mês do Sagrado coração de Jesus. E porque não chamar também de mês da Misericórdia, pois esse coração que tanto amou os homens e foi tão pouco reconhecido. Coração de Jesus para nós é uma fonte, fonte de vida e salvação. Vamos buscar no coração de Cristo o nosso refugio e nossa proteção.

E o que devemos fazer diante do Coração de Jesus? Pedir perdão pelos nossos pecados, porque nessa vida nós temos como encontrar a Misericórdia de Deus. Não podemos desprezar, e deixar pra pedir perdão na hora de nossa morte, mas estarmos cada dia dispostos a pedir que o Senhor nos perdoe de todos os nossos pecados." (Por Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia")

terça-feira, 11 de junho de 2013

"São homens como nós, com problemas também complicados"



"Portanto, também entre santos existem contrastes, discórdias, controvérsias. E isto parece-me muito confortador, porque vemos que os santos não "caíram do céu". São homens como nós, com problemas também complicados. A santidade não consiste em nunca ter errado ou pecado. A santidade cresce na capacidade de conversão, de arrependimento, de disponibilidade para recomeçar, e sobretudo na capacidade de reconciliação e de perdão"  - ( Bento XVI)

Para se Aproximar de Deus é preciso não se deixar seduzir pelas coisas do mundo!


Muitas vezes queremos aproximar de Deus, mas nos deixamos seduzir pelas coisas desse mundo e ficamos com coração repartido como se tivéssemos um desejo forte de subir para estarmos cada vez mais livres para o amor espiritual, mas ao mesmo tempo o peso das coisas da terra nos oprime e nos prende.
Santa Teresa de Jesus fazia um comentário num poema onde ela dizia:

 “Ai que longa é esta vida!
Que duros estes desterros!
Este cárcere, estes ferros
Onde a alma está metida.
Só de esperar a saída
Me causa dor tão sentida,
Que morro porque não morro.”

Morria (sofria) porque não conseguia morrer de uma vez, entrar plenamente nessa vida de Deus.

Nós estamos neste mundo para estarmos voltados para Deus, aprendermos as coisas Dele e entrarmos na vida eterna, todas as outras coisas são passageiras e secundárias, o que realmente importa é nós conseguirmos subir para Ele.
(Por Frei Tiago de São José. Programa "A Hora da Misericórdia" 10/06/13)

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Santa Teresa de Jesus.


Ó Cristãos! Tempo é de defender a vosso Rei e de acompanhá-lO em tão grande solidão, que são muito poucos os vassalos que ficaram e muita a multidão que acompanha a Lúcifer; e o que é pior é que se mostram amigos em público e O vendem em segredo; quase não se encontra em quem confiar. (Santa Teresa de Jesus)

sábado, 8 de junho de 2013

A Santa Missa é de grande auxílio para as almas do Purgatório!


Para concluir esta instrução, refleti que não foi premeditado desígnio que disse anteriormente que uma única Santa Missa, tomada em si e em relação ao seu valor intrínseco, basta para esvaziar inteiramente o Purgatório e abrir a todas as almas, que lá se acham, as portas do Paraíso. Com efeito, este Divino Sacrifício vai em auxílio das almas dos falecidos, não só satisfazendo por suas dívidas como propiciatório, mas ainda obtendo-lhes a libertação, como impetratório. Isto decorrente claramente da conduta da Igreja, que não somente oferece a Santa Missa pelas almas sofredoras, como também insere orações para libertá-las.

Ora, a fim de excitar vossa compaixão por essas santas almas, sabei que o fogo em que estão mergulhados é tão devorador quanto o do próprio Inferno. Tal é a opinião de São Gregório. Instrumento da Justiça Divina, ele age sobre as almas com tão grande ardor, que lhes causa dores intoleráveis e superiores a todos os suplícios que jamais se pode ver, experimentar ou sequer imaginar aqui na Terra.

Muito mais, porém, sofrem elas pela pena de dano, e é, a privação da bem-aventurada visão de DEUS. Elas experimentam, diz São Tomás, uma insuportável angústia, causada pelo desejo que têm de ver o Soberano Bem, desejo que não pode ser satisfeito.

Pois bem, consulta-vos intimamente e respondei à pergunta: Se vísseis vosso pai e vossa mãe a ponto de afogar-se num lago e que para salvá-los vos bastasse estender a mão, não seríeis levados, pela caridade e pela Justiça, a socorrê-los!?


E então! vedes com os olhos da Fé tantas pobres almas de vossos parentes próximos, queimando vivas num lago de fogo, e não quereis impor-vos um pequeno incômodo para assistir devotamente à uma Santa Missa em seu sufrágio. De que é feito o vosso coração? Pois quem pode duvidar que a Santa Missa leve um grande auxílio a essas pobres almas? Quanto a isto, ouvi São Jerônimo. Ele vos dirá claramente que, ao celebrar-se a Santa Missa por uma alma do Purgatório, o fogo tão devorante que ordinariamente a consome, suspende sua ação e ela não sofre pena alguma enquanto dura o Sacrifício. Animae quae sunt in Purgatorio pro quibus solet sacerdos in Missa orare, ínterim nullum tormentum sentiunt dum Missa celebratur.

(As excelências da Santa Missa - Leonardo de Porto Maurício, da Ordem dos Frades Menores, conforme a edição romana de 1737 dedicada a S.S.Papa Clemente XII)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Hoje é dia da Beata Ana de São Bartolomeu !!!!! Grande Carmelita



Pra quem não a conhece, ela foi enfermeira de Santa Teresa de Jesus!

Memória a 7 de Junho

Recordamos hoje uma das primeiras carmelitas descalças, grande amiga de Santa Teresa, e sua enfermeira até à morte.
Nasceu em Almendral, aldeia de Ávila, no ano 1549. Quando tinha apenas dez anos, morreram seus pais, ficando ao cuidado dos irmãos que lhe deram o ofício de pastora, confiando-lhe o rebanho para guardar.
Não se preocuparam os irmãos em ensiná-la a ler e escrever. Porém, na sua Autobiografia, esta bem-aventurada Carmelita conta-nos que nas longas horas que passava na guarda do rebanho, vinha o Menino Jesus ensiná-la a compreender os mistérios da vida e da fé.
Ana sentiu-se, na sua juventude, atacada por uma doença que quase a vitimou. Encomendou-se a S. Bartolomeu e recobrou saúde. Entrou no convento de S. José de Ávila e tomou o nome de Ana de S. Bartolomeu. Aqui conheceu nosso pai S. João da Cruz que, juntamente com Santa Teresa de Jesus, lhe ensinaram o espírito carmelita.
Na noite de Natal de 1577, partiu Santa Teresa um braço. A partir de então, a Irmã Ana foi presença constante e companheira inseparável da Santa Madre, nos braços de quem Santa Teresa viria a morrer. Foi neste período, com vinte e oito anos, que a Irmã Ana aprendeu a ler e a escrever, imitando a letra da Santa, a fim de se tornar na secretária particular da Madre Fundadora e também sua confidente, sendo, por isso, a pessoa que melhor conheceu Santa Teresa.
Foi escolhida para integrar a primeira comunidade que fundou o Carmelo em França, no ano de 1604. Foi seu grande sofrimento, desde o primeiro dia, não poder ter junto de si os carmelitas. Quando estes, anos mais tarde, chegaram a França elegeram-na como fundadora do Carmelo na Bélgica, onde chegou no ano de 1612, fundando em Antuérpia.
Os príncipes e os senhores belgas estimavam a Irmã Ana como santa. A infanta Dª Isabel afirmava: «Antuérpia nada deve recear, pois a Irmã Ana de S. Bartolomeu é a nossa defesa, melhor que qualquer exército».
Assim era. Por três vezes, Maurício de Nassau tentou tomar a cidade sem o ter conseguido. Por isso, o povo, reconhecido, chamava à Irmã Ana «Defensora de Antuérpia».
Morreu em Antuérpia, no dia 7 de Junho de 1626, Solenidade da Santíssima Trindade. A cidade ainda hoje mantém viva a memória desta grande Carmelita.

O JEJUM E A ABSTINÊNCIA.

"Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus"


Penitência é a mortificação do corpo.

A Igreja convida todos os fiéis à corresponderem ao preceito divino da penitência que, além das renúncias impostas pelo peso da vida cotidiana, pede alguns atos de mortificação também do corpo ... A Igreja quer indicar na Tríade Tradicional "ORAÇÃO, JEJUM, CARIDADE" os modos fundamentais para obedecer ao preceito divino da penitência. Ela defendeu a ora­ção e as obras de caridade, também, e com insistência, a abstinência de carne e o jejum.
Praticado desde toda a Antiguidade pelo povo eleito, como sinal de arrependimento, praticado por Nosso Senhor Jesus Cristo e por todos os santos, recomendado pela Santa Igreja como instrumento de santificação da alma, de controle do corpo e equilíbrio emocional, o jejum obrigatório foi sendo reduzido ao longo dos séculos.

Na prática do dia-a-dia há muitas formas de fazer penitência, devemos aproveitar por exemplo, silenciando algo que sabemos de alguém. Deixar de olhar televisão. Suportar os defeitos de alguém. Viver sem reclamar. Ter coragem de falar sempre bem do próximo. Cumprimentar sempre e, principalmente, aqueles que não nos são simpáticos. Dobrar os joelhos enquanto rezamos. Fazer o sinal da Cruz quando passamos diante de uma Igreja. Deixar de comer algum alimento que gostamos em determinados dias da semana. Agradecer com humildade todos os sofrimentos que ocorrem no dia a dia. Enfim, a penitência nos eleva, nos conduz à viver às 24 horas do dia na graça. Sejamos fortes fazendo penitência.

Festa do Sagrado Coração de Jesus!


Na sexta-feira depois da oitava da festa do Corpo de Deus, a Igreja celebra a festa do Sagrado Coração de Jesus. De acordo com os desejos de Nosso Senhor, manifestados a Santa Margarida Maria Alacoque, deve ser dia de reparação, pela ingratidão, frieza, desprezo e sacrilégios que muitas vezes sofreu na Eucaristia, por parte de maus cristãos, e às vezes até por parte de pessoas que se presumem piedosas. Em todas as igrejas se fazem neste dia, solenes atos coletivos de reparação. Para estimular os cristãos e retribuir com amor tantas e tão grandes provas de amor do Divino Coração de Jesus, dedicou à sua veneração, não só a primeira sexta-feira de cada mês, mas também um mês inteiro, o mês de junho.

No dia 16 de junho de 1675, durante uma exposição do Santíssimo Sacramento, Nosso Senhor apareceu a Santa Margarida Maria Alacoque e, descobrindo seu Coração, disse-lhe: “Eis o coração que tanto tem amado aos homens e em recompensa não recebe, da maior parte deles, senão ingratidões pelas irreverências e sacrilégios, friezas e desprezos que tem por Mim neste Sacramento de Amor”.

domingo, 2 de junho de 2013

Comunhão...


“A comunhão diária não pode conviver com o desejo de aparecer, vaidade no vestir, prazeres, da gula, comodidades, conversas frívolas e maldosas. Exige oração, mortificação, recolhimento.”(Santo Afonso Maria de Ligório)

OS SAGRADOS CORAÇÕES


"A fim de que a devoção ao Coração Augustíssimo de Jesus produza frutos mais copiosos na família cristã e mesmo em toda a Humanidade, procurem os fiéis unir a ela estreitamente a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus. Foi vontade de Deus que, na obra da redenção humana, a Santíssima Virgem Maria estivesse inseparavelmente unida a Jesus Cristo; tanto que a nossa salvação é fruto da caridade de Jesus Cristo e dos seus padecimentos, aos quais foram intimamente associados o amor e as dores de sua Mãe. Por isso, convém que o povo cristão, que de Jesus Cristo, por intermédio de Maria, recebeu a vida divina, depois de prestar ao Sagrado Coração o devido culto, renda também ao Amantíssimo Coração de sua Mãe celestial os correspondentes obséquios de piedade, de amor, de agradecimento e de reparação. Em harmonia com esse sapientíssimo e suavíssimo desígnio da Divina Providência, Nós mesmo, por ato solene, dedicamos e consagramos a Santa Igreja e o mundo inteiro ao Coração Imaculado da Santíssima Virgem Maria".

Carta Encíclica Haurietis Aquas (Sobre o Culto do Sagrado Coração), do Sumo Pontífice Papa Pio XII, n. 74.