terça-feira, 30 de abril de 2013

São José Operário! 1º de Maio.




A Igreja, providencialmente, nesta data civil marcada, muitas vezes, por conflitos e revoltas sociais, cristianizou esta festa, isso na presença de mais de 200 mil pessoas na Praça de São Pedro, as quais gritavam alegremente: "Viva Cristo trabalhador, vivam os trabalhadores, viva o Papa!" O Papa, em 1955, deu aos trabalhadores um protetor e modelo: São José, o operário de Nazaré.

O santíssimo São José, protetor da Igreja , assumiu este compromisso de não deixar que nenhum trabalhador de fé – do campo, indústria, autônomo ou não, mulher ou homem – esqueça-se de que ao seu lado estão Jesus e Maria. A Igreja, nesta festa do trabalho, autorizada pelo Papa Pio XII, deu um lindo parecer sobre todo esforço humano que gera, dá a luz e faz crescer obras produzidas pelo homem: "Queremos reafirmar, em forma solene, a dignidade do trabalho a fim de que inspire na vida social as leis da equitativa repartição de direitos e deveres." 

São José, que na Bíblia é reconhecido como um homem justo, é quem revela com sua vida que o Deus que trabalha sem cessar na santificação de Suas obras, é o mais desejoso de trabalhos santificados: "Seja qual for o vosso trabalho, fazei-o de boa vontade, como para o Senhor, e não para os homens, cientes de que recebereis do Senhor a herança como recompensa... O Senhor é Cristo" (Col 3,23-24).

segunda-feira, 29 de abril de 2013

" Respeito com Deus"


Daí, a pessoa entra na casa do amigo e sem cumprimentar vai logo sentando no sofá, na cama, ou onde quer que seja. Onde fica a educação? Agora imagine se seu amigo fosse DEUS! Se é desrespeitoso tais atitudes diante de um ser humano como nós. Como fica essa atitude diante de Deus?
Infelizmente, nas Missas, ou mesmo em outros horários que passo pela Igreja, observo os próprios católicos entrarem na Igreja e simplesmente ignorarem a presença do DONO DA CASA, ou seja, DEUS! Observo também muitas pessoas, que deveriam dar exemplo como catequistas, ministros, coroinhas, e até mesmos os padres, passam diante do altar e ATÉ do Santíssimo (que hoje muitos já não se encontram no altar e sim num canto da Igreja, outra coisa muito triste), sem se curvarem ou se ajoelharem ou um mínimo sinal da cruz.
Não quero ensinar ninguém o que é certo o que é errado, mas será mesmo que as pessoas acreditam que na hóstia Consagrada está a presença do Deus vivo? Sim. E aonde essa hóstia fica? No Sacrário. Aqui vemos como é um absurdo a pessoa passar diante do Sacrário, na “morada” do Senhor como se simplesmente não soubesse onde estivesse passando.
Imaginemos o quanto o Senhor não fica triste ao ver as pessoas que DIZEM estar ali para adorá-lo, simplesmente o ignorarem. É uma ofensa sim, mas é fácil de ser evitada.
Se você passar cem vezes diante do altar ou do Sacrário, deve se curvar diante dele nessas cem vezes. Frescura? Exagero? De modo algum!
Todos sabemos que no Santo Altar em cada missa, é renovado o sacrifício de Jesus, que aceitou sofrer e morrer por nós, pelos nosso pecados, pela nossa salvação. E é no altar que se coloca o corpo e o sangue de Jesus Cristo, por isso é algo santo. Teria de ser muito ignorante para simplesmente passar despercebido por essa “mesa” como muitos chamam não?
Quando entendemos o que é o altar, percebemos facilmente que não podemos agir de outro modo.
Por isso, seja um cristão educado e curve-se/ajoelhe-se com carinho diante do altar e do Santíssimo. Jesus faz tudo por você, tenha respeito por Ele.
“Todo Joelho se dobrará, no céu, na terra, e embaixo da terra” -  Filipenses 2;10.

Irmã Mayara de Santa Teresinha do Menino Jesus
Confraria Nossa Senhora do Carmo.

São José Operário, 1º de Maio!




São José é tão glorioso que é o único santo celebrado em duas datas no dia 19 de março, como esposo de Maria e em primeiro de maio, Padroeiro dos Trabalhadores. Esta última foi instituída, diante de uma multidão de 200 mil operários, reunidos no dia 1º de Maio de 1955, na Praça de São Pedro, quando o Papa Pio XII decidiu cristianizar o Dia do Trabalho, dando-lhe como santo protetor São José Operário.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A Oração




“(...) Antes de começar a reza das horas do Ofício Divino ou do rosário, primeiramente pensarmos quem é aquele com quem vamos falar e quem somos nós que lhe falamos, para ver de que modo o havemos de tratar.” (Santa Teresa De Jesus).

“As pessoas enquanto não padecem não procuram Deus, faz uma oraçãozinha um pai nosso na hora de dormir. A pessoa que não reza no mínimo 2 horas por dia, não pode dizer que rezou, tem que fazer um momento de meditação, escutar a Palavra. Rezar sempre o SALMO. O ROSÁRIO. Cada dia que você reze um salmo que seja, com devoção, é muito importante.” (Frei Tiago de São José).

“(...)Se fizerdes bem o  muito que é preciso fazer para entender estes dois pontos antes de começar a rezar vocalmente, tereis ocupado bastante tempo em oração mental.” (Santa Teresa De Jesus).

Procuremos nos concentrar mais nos momentos de oração, mesmo quando em Comunidade não procure prestar atenção no que o irmão faz ou deixa de fazer, ou mesmo como o irmão faz. Busquemos nos concentrar na Presença de Deus, Aquele que iremos naquele momento Louvar, não importa como, não importa onde, LOUVEM E BENDIGUEM O SENHOR DE TODO SEU CORAÇÃO DE TODA SUA ALMA. Tudo o que fizermos será pouco pelo TUDO que o Senhor fez por nós.

Irmã Mayara de Santa Teresinha do Menino Jesus.
Confraria Nossa Senhora do Carmo.



quinta-feira, 25 de abril de 2013

"Contemplação das Matinas" - Por Irmã Andréia de Santa Teresa, Madre Priora Confraria Nossa Senhora do Carmo.


Como alcançar a perfeição ao Louvor a Deus? Perfeição que comparo com o cuidado de um bebê, tão indefeso e tão dependente da perfeição do cuidado materno. Cada detalhe deve ser perfeito, caso contrário expõe aquela vida a própria morte.
            Ah Senhor! Quanta imperfeição! Sabemos que no cuidar do outro estamos de fato Louvando a Ti, a presença do próprio Deus que se faz presente ali, naquele que recebe os seus cuidados! E o que fazemos? E como fazemos? Ah Senhor! Quanta falta de caridade temos para com o outro! Quanta falta de zelo em nossas atitudes! Será que seremos dignos de tanto perdão? Quanto julgamento! Julgamento daquilo que “talvez” hoje tenhamos discernimento, julgamento de atitudes que um dia fizemos exatamente igual ou ainda pior...
            Quanta insensatez! Quanta ignorância fazermos de conta de que Deus nem tudo vê! Quanta ousadia!
            Quanta insensatez em não temer a Deus... e então quando nos diz: “Nunca os conheci. (Mat 7:23)” O que diremos? Mas Senhor? E o quanto Te Louvei? E será que não nos responderás: Sim, me Louvastes com todas as honras em todas as solenidades possíveis. Fizestes o impossível pra chegar à perfeição ao meu Louvor!... Porém e o outro? Se acaso ficastes esperando a oportunidade de saciar a fome daquele faminto quando vez ou outra te pediu um prato de comida...hipócrita! Acaso procuraste em meio a multidão de pessoas que convivem contigo saciar suas necessidades mesmo que fosse apenas com um pequeno gesto de gratidão? Fizestes, meu filho, apenas aquilo que te pediram! Hipócrita! Não te conheço!
            “A qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá.”  (Luc 12:48) Não é assim que deixei escrito? Te dei o discernimento da maneira correta no agir e o que fizeste?
            Muitos não têm a graça do discernimento do agir em Deus e o que fazemos? Julgamos.
            Só nos resta pedir-Lhe perdão! Só nos resta Senhor pedir-Lhe que novas oportunidades, nos apresente para mostrar que aprendemos a Louvar-Te através do outro! Judica me Dòmine! (Sal 25)
            Perdão Senhor, Perdão! Pelas vezes em que rezamos o Pai-Nosso sem sequer tomarmos consciência do que estávamos falando, das vezes que no Santo Sacrifício, na Santa Missa, nossos pensamentos vaguearam ao invés de sofrermos a Cruz daquele Sacrifício! Perdão Senhor das vezes que não cuidamos dignamente de nossos objetos santos, nossos santos terços, nossas Bíblias, nossos crucifixos ou nossos hábitos. Perdão Senhor por tudo e às situações de pecado que nos colocamos diariamente que nos impedem de Louvar a Ti mais perfeitamente... Perdão por verdadeiramente não reconhecermos nossas imperfeições!
Amém.
Ir Andréia de Santa Teresa.
                                                         Confraria Nossa Senhora do Carmo

quarta-feira, 24 de abril de 2013



“Rezai! Rezai muito e fazer sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o Inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas. Quando rezardes o terço, dizei depois de cada mistério:  ‘ Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do Inferno e levai as almas todas para o céu, principalmente aquelas que mais precisarem’.” -  Nossa Senhora, em Fátima - 1917

Regina Caeli!





V. Regina caeli, laetare, alleluia.
R. Quia quem meruisti portare, alleluia.
V. Resurrexit, sicut dixit, alleluia.
R. Ora pro nobis Deum, alleluia.

V. Gaude et laetare, Virgo Maria, alleluia.
R. Quia surrexit Dominus vere, alleluia.

Oremus. Deus, qui per resurrectionem Filii tui, Domini nostri Iesu Christi, mundum laetificare dignatus es: praesta, quaesumus; ut per eius Genetricem Virginem Mariam, perpetuae capiamus gaudia vitae. Per eundem Christum Dominum nostrum. Amen.

terça-feira, 23 de abril de 2013

23 de abril dia de São Jorge, Mártir.


De acordo com a tradição, São Jorge teria nascido na antiga Capadócia, região do centro da Anatólia que, atualmente, faz parte da República da Turquia. Ainda criança, mudou-se para a Palestina com sua mãe após seu pai morrer em batalha. Sua mãe, ela própria originária da Palestina, Lida, possuía muitos bens e o educou com esmero. Ao atingir a adolescência, Jorge entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia à sua natural índole combativa. Logo foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade — qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde da Capadócia. Aos 23 anos passou a residir na corte imperial em Nicomédia, exercendo a função de Tribuno Militar. Nesse tempo sua mãe faleceu e ele, tomando grande parte nas riquezas que lhe ficaram, foi-se para a corte do Imperador. Jorge, ao ver que urdia tanta crueldade contra os cristãos, parecendo-lhe ser aquele tempo conveniente para alcançar a verdadeira salvação, distribuiu com diligência toda a riqueza que tinha aos pobres.
O imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os romanos deviam se converter ao cristianismo. Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo. Indagado por um cônsul sobre a origem dessa ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da Verdade. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: “O que é a Verdade?”. Jorge respondeu-lhe: “A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade.” Como Jorge mantinha-se fiel ao cristianismo, o imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Todavia, Jorge reafirmava sua fé, tendo seu martírio aos poucos ganhado notoriedade e muitos romanos tomado as dores daquele jovem soldado, inclusive a mulher do imperador, que se converteu ao cristianismo. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito, mandou degolá-lo no dia 23 de abril de 303, em Nicomédia (Ásia Menor). Os restos mortais de São Jorge foram transportados para Lida (Antiga Dióspolis), cidade em que crescera com sua mãe. Lá ele foi sepultado, e mais tarde o imperador cristão Constantino mandou erguer suntuoso oratório aberto aos fiéis, para que a devoção ao santo fosse espalhada por todo o Oriente. Pelo século V, já havia cinco igrejas em Constantinopla dedicadas a São Jorge. Só no Egito, nos primeiros séculos após sua morte, construíram-se quatro igrejas e quarenta conventos dedicados ao mártir. Na Armênia, em Bizâncio, no Estreito de Bósforo na Grécia, São Jorge era inscrito entre os maiores santos da Igreja Católica.

domingo, 21 de abril de 2013

Salve Maria!!!

Ave, Maris Stella,
Dei mater alma,
Atque semper Virgo,
Felix caeli porta.

Sumens illud Ave,
Gabrielis ore,
Funda nos in pace
Mutans Evae nomen.

Solve vincla reis,
Profer lumen caecis,
Mala nostra pelle,
Bona cuncta posce.

Monstra te esse Matrem,
Sumat per te preces,
Qui pro nobis natus
Tulit esse tuus.

Virgo singularis,
Inter omnes mitis,
Nos, culpis solutos,
Mites fac et castos.

Vitam praesta puram,
Iter para tutum:
Ut, videntes Jesum,
Semper collaetemur.

Sit laus Deo Patri,
Summo Christo decus
Spiritui Sancto,
Tribus honor unus. Amen


A vida Carmelita!


sábado, 20 de abril de 2013

"Louvar a Deus o Tempo Todo!!!"

Louvar a Deus o Tempo Todo!!!

É muito comum observar as pessoas reclamarem da vida, do que tem, do que não tem, ou até mesmo do excesso em que querem ter. Hoje em dia, nada é suficiente. Outros ainda, não tem nada, ou o pouco que tem, os levam a encher o coração de louvor e agradecimentos ao Senhor.

“Bendirei continuamente o Senhor, seu louvor não deixará meus lábios. Gloria-se a minha alma no Senhor; ouçam os humildes, e se alegrem. Glorificai comigo o Senhor, juntos exaltemos o seu nome.” – Salmo 34; 2-4

A proposta Bíblica é, louvar a Deus o TEMPO TODO. Em dias bons e em dias maus, na saúde ou na enfermidade, quando aplaudido, ou quando criticado, ao receber uma Noticia positiva do Senhor ou mesmo quando Ele nos fecha um caminho do qual desejávamos seguir.
Louvar a Deus em “todo o tempo” exige também reconhecer que as circunstâncias da vida, mesmo as mais difíceis, possuem algum motivo de louvor.
Louvor é o que oferecemos a Deus ao reconhecermos a Sua excelência. Você pode pensar que louvor é o mesmo que dizer "obrigado", mas há uma diferença. Uma atitude de gratidão descreve a nossa atitude em relação ao que Deus tem feito, enquanto que o louvor é oferecido a quem Deus realmente é.

 "Invocarei o nome do SENHOR, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos". Salmo 18:3
“Louvai ao Senhor, pois sua misericórdia é eterna”-(2 Crônicas 20:21
Louve a Deus por Sua graça -Efésios 1:6
Louve a Deus por Sua bondade Salmos 135:3
Louve a Deus por Sua benevolência Salmo 117
Louve a Deus por Sua salvação Efésios 2:8-9


Ir Mayara de Santa Teresinha do Menino Jesus
Confraria Nossa Senhora do Carmo.

“Fé, fundamento da esperança” - Por: Madre Priora Confraria Nossa Senhora do Carmo,em resposta à Carta do Vaticano


" A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê. Foi ela que fez a glória de nossos antepassados. Pela fé reconhecemos que o mundo foi formado pela palavra de Deus e que as coisas visíveis se originam do invisível. (Hb 11, 1-3) Como conforta nossos corações saber o quanto Deus é maravilhoso! O quanto vale esperar e esperar somente Nele! A quantos finais de semana ao ir ao Mosteiro nossos corações ao mesmo tempo que tristes se enchiam de esperança de que um Mosteiro, quando fundado JAMAIS SE ACABA. Poderia sim, sairmos todos para dar lugar a outro santo sacerdote que pudesse continuar o trabalho dando louvor a Deus que ali foi um dia iniciado. Como encerraríamos as atividades do Mosteiro Santo Elias ? Mesmo quando grandes catástrofes destroem capelas, grandes templos, lugares santos pelo mundo afora não se RECONSTROEM OS TEMPLOS? Ou ainda um Mosteiro pode acabar se as vocações acabassem, o que, graças a Deus, não é o caso! Muito bem...o que diríamos a Santo Elias se tomássemos a decisão de desistir e daquele lugar SANTO sair? Lhe fizemos uma homenagem e junto ao Nosso Santo Elias estamos até hoje louvando a Deus! Prometemos a Ele que ali estaríamos. Nosso compromisso diante do pai Elias e de Deus, como ficaríamos se desistíssemos?  Mas quando estivemos no Mosteiro em nossa última formação voltamos com uma PAZ que vinha do céu! Ver a retomada do Mosteiro apenas confirmou aquela CERTEZA plantada em nossos corações DESDE O INÍCIO. Um Mosteiro não se acaba NUNCA. E que agora se confirma com esta resposta do Vaticano. “Mas Tobit temia mais a Deus que ao rei e continuava a levar para a casa os corpos daqueles que eram assassinados, onde os escondia e inumava durante a noite.” (Tb 2, 9) Continuemos a LOUVAR A DEUS, NOVAS VOCAÇÕES CONTINUARÃO CHEGANDO, ENTRE OS IRMÃOS, ENTRE AS IRMÃS E EM NOSSA ORDEM TERCEIRA CRIADA EM HONRA A NOSSA SENHORA DO CARMO!
Façamos jus diante de tanta GRAÇA CONCEDIDA À NOSSA COMUNIDADE! Temos muitas missões mas DUAS EM ESPECIAL: EM PRIMEIRO LUGAR, LOUVAR A DEUS HONRANDO NOSSA SENHORA SENDO SEUS IMITADORES E DEPOIS SALVAR ALMAS DESTE MUNDO PERTENCENTE AO PRÍNCIPE DAS TREVAS!
Peçamos a Deus que continue nos capacitando com os Dons do Espírito Santo e “ revestidos pelo escudo da fé” (Ef 6, 16) sermos seus verdadeiros soldados nesta batalha que terá um fim..."


Salve Maria!
ir Andréia de Santa Teresa

Revesti-vos do escudo da fé!


“...Não temamos denunciar os deturpadores da Santa Igreja que “resistem à verdade, homens corrompidos de coração e réprobos acerca da fé” (II Tim. 3,8). Ensinam livremente nos seminários, escrevem livremente e são aplaudidos, disseminam as sementes de heresia por toda parte impunes e em pleno “ano da Fé”!” - Leia mais em: http://carmeloeremitico.blogspot.com.br/

A respeito da Carta com a resposta de Roma, publicamos aqui uma palavra de Frei Tiago de São José... SALVE MARIA;


A ALEGRIA DA RESSURREIÇÃO


Recebemos, nesta semana, a carta da congregação para os institutos de vida consagrada, como resposta ao nosso recurso apresentado à comissão Ecclesia Dei. O conteúdo desta resposta nos deixou bastante confortados, pois, um órgão oficial do Vaticano está nos declarando que não há nenhum “ato administrativo”, ou seja, não existe nenhuma atitude canônica válida do Bispo de Bragança Paulista contra nós. Por isso mesmo, nem sequer necessitamos do recurso... O que existe somente é um “comunicado” ou seja, um ato informal que através da internet nos obrigou a deixar as atividades do nosso Mosteiro de Atibaia. E por que houve apenas um ato informal? Porque não havia razões para nos expulsar. O que se chama de “desobediência” e “irregularidades” vemos que na verdade seria resistência e excesso de regularidade. Após a tempestade, vemos, com clareza, que tudo isso que nos tem acontecido faz parte de um cenário que deve se reproduzir em toda a Igreja e vai se estender cada vez mais, desde que o Papa Bento XVI propôs abertamente a “hermenêutica da continuidade”. Aqueles que aderem a esse projeto serão tachados de irregulares, pois o “superdogma do Concílio não pode ser contestado”. Entretanto, já podemos ter certeza de que a vitória da Igreja está garantida. É só uma questão de tempo e os desígnios de Deus se cumprirão pondo fim nesta crise e apostasia. O nosso Carmelo Eremítico, morto, agora está vivo novamente e já não pode morrer mais. Estamos muito bem acolhidos no Paraguai e o Bispo de Ciudad del Este já nos aprovou e fez a ereção canônica de nossa fundação. Ele não nos exigiu que tirássemos o hábito, nem que renunciássemos ao Rito Tradicional, nem que deixássemos de viver conforme a nossa Regra. Pelo contrário, temos um apoio incondicional por parte do povo e do clero. Por tudo isso, louvamos a Deus que permitiu que enfrentássemos essa provação em Atibaia para que hoje estivéssemos mais fortalecidos no nosso carisma e com novas fundações. Bendito seja Deus que escreve certo por linhas certas e que nos conduziu pelos caminhos que ele quis, pois, afinal “o Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar na sua Páscoa?” (Luc. 24,26) Agora resta-nos continuar rezando para que, com o apoio do Papa possamos seguir o nosso caminho.
Que Maria, Mãe e Formosura do Carmelo interceda por nós!


Santa Rita, 18 de Abril de 2013
Frei Tiago de São José 

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Por: Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia" 17/04/13- RADIO LUZZ - Santa Rita- Alto Paraná - PARAGUAY,


"Convido você a renovar sua confiança em Jesus. Não se desespere, pela situações difíceis, pela maldade desenfreada que existe em toda parte do mundo, inveja, ambição. Cristo venceu a morte.
Apesar de muitas vezes termos impressão de que as coisas ruins estão prevalecendo, VAMOS REZAR MAIS. Ter mais força de oração. Porque se nós ainda não derrotamos o poder maligno na nossa vida é porque falta poder de oração. Rezar um Pai Nosso, uma Ave Maria, REZAR SEMPRE, EM TODOS OS MOMENTOS. Orações, súplicas, ações de graças. Assim devem se comportar aqueles que estão unidos a Cristo."

Por: Frei Tiago de São José - Programa " A Hora da Misericórdia" 17/04/13- Santa Rita- Alto Paraná - Paraguay


A grande importância da vida contemplativa na Igreja é justamente guardar o deposito da fé, guardar a memória de Deus. Voltar-se para Deus, e fazer com que o mundo possa aurir dessa fonte contemplativa, que as vocações cultivam. Tudo isso é representado por João. Pedro e João representam a totalidade da Igreja, um na vida ativa, com obrigação de acompanhar a humanidade e dar uma resposta do Evangelho, interpretando com o tempo. Enquanto que João representa outra parte da Igreja que vive numa atitude de contemplação de um olhar voltado para Deus. É próprio da vida contemplativa, ser imutável, não ficar andando, ficar mudando, mas se estabilizar diante de Deus, no olhar para Ele, no encontro com Ele e ao mesmo tempo na espera da vinda Dele: “Ele fique assim até que eu venha”. Vamos pedir a Deus por toda Igreja para que na sua dimensão missionária e também na sua face contemplativa, a Igreja possa em tudo agradar a Cristo.

POR: Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia" 17/04/13 - Rádio LUZ- Santa Rita - PARAGUAY

"...aquele que verdadeiramente conhece a Deus, ao invés de ter ambição pelo dinheiro e prazeres dessa vida, teve ter ambição pelas humilhações sofrimentos e pela vida escondida, que vai nos unir a Cristo, nos dar a sintonia com o Verdadeiro Jesus. O Jesus que o Espírito Santo nos revela ao Coração...'  

terça-feira, 16 de abril de 2013

Por: Frei Tiago de São José - Programa "A Hora da Misericórdia" - Rádio LUZ- Santa Rita- Alto Paraná - PARAGUAY


Muitas vezes queremos as bênçãos de Deus, mas nós não nos abrimos para buscar a Deus, a palavra de Deus, COMO VOCÊ PODE QUERER RECEBER A BENÇÃO DE DEUS NO SEU AMBIENTE DE TRABALHO, NA SUA FAMÍLIA OU NA SUA SAÚDE SE VOCÊ NÃO BUSCA SE CONVERTER DIANTE DA PALAVRA DE DEUS?
Você procura ir a Missa todos os Domingos? Que é o dia consagrado, o dia da ressurreição, o dia de nós nos levantarmos de novo. No Domingo Deus nos levanta, nos abençoa. Tudo de graça que recebemos na semana, nós já recebemos no Domingo. Muitas vezes a pessoa só pensa em trabalhar, trabalhar até no domingo, porque quer dinheiro. MAS SERÁ QUE O DINHEIRO VAI TE TRANSFORMAR NUMA PESSOA ABENÇOADA POR DEUS?
“Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono”. -
Salmos 127:2

Programa "A Hora da Misericórdia" - 16/04/2013 - Por FREI TIAGO DE SÃO JOSÉ, em Rádio LUZ, Santa Rita - Alto Paraná - Paraguay



"A Primeira atitude que não devemos ter quando vamos rezar é a atitude de submissão à vontade Deus, procure convencer o seu coração de que a vontade de Deus é o melhor para sua vida. Não adianta a gente reclamar, ou achar que não deveria ser assim, porque quanto mais lutamos contra aquilo que o Senhor determina para nós mais a nossa vida se desgasta sem necessidade, enquanto se você aceita do fundo do coração aquilo que Deus está te reservando, você vai ver que através disso irá ter muitos frutos."

Salm 25


Proba me Dómine, et tenta me, ure renes meos et core meum. Quóniam misericórida tua ante óculos meos est, et complácui in veritáte tua. Salm 25 Officium Parvum BMV

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Dois homens juntos são mais felizes que um isolado, porque obterão um bom salário de seu trabalho. Se um vem a cair, o outro o levanta. Mas ai do homem solitário: se ele cair não há ninguém para o levantar. Da mesma forma, se dormem dois juntos, aquecem-se; mas um homem só, como se há de aquecer? Se é possível dominar o homem que está sozinho, dois podem resistir ao agressor, e um cordel triplicado não se rompe facilmente. (Eclesiastes 4, 9-12)

Veni Creator Spiritus (Vem Espírito Criador)


Veni Creator Spiritus (Vem Espírito Criador)
É um hino da Igreja Católica e outras igrejas cristãs, provavelmente composto por Rabano Mauro, no século IX. Quanto o texto original em latim é usado, é normalmente cantado em canto gregoriano. Trata-se de uma invocação ao Espírito Santo, e é cantado nas celebrações litúrgicas da festa do Pentecostes (tanto nas Terças como nas Vésperas). Também é cantado em outras ocasiões, como na entrada dos cardeais para a Capela Sistina aquando de um conclave para escolha de um Papa, na consagração de bispos, na ordenação sacerdotal, no sacramento da Confirmação (Crisma), na dedicação de templos, na celebração de sínodo ou concílios, na coroação de reis, na profissão de fé de membros de instituições religiosas e em outros eventos solenes.

Vinde, Espírito criador,
visitai as Vossas almas;
enchei com a graça do alto
os corações que criastes.
Sois chamado Consolador (Paráclito),
altíssimo dom de Deus,
fonte viva, fogo, caridade
e unção espiritual.
Vós que sete dons tendes,
o dedo da direita de Deus,
solene promessa do Pai
que as palavras inspirais.

domingo, 14 de abril de 2013

(Nosso Senhor a Santa Brígida) Referindo-se aos Últimos Tempos, disse:


“40 anos antes do ano 2000, o demônio será deixado solto, por um tempo. Um sinal dos eventos que marcarão o fim dos tempos”, continua Santa Brígida, “será: Os sacerdotes deixarão de usar hábito santo e se vestirão como pessoas comuns; as mulheres se vestirão como os homens e os homens como as mulheres”. “…Esta é a hora de Satanás, que tem a infame intenção de destruir a Minha Criação. Grita, a alta voz, Minha filha, porque esse dia está próximo e Satanás apressa-se a devastar nação a nação. O Meu Coração está despedaçado…”

sábado, 13 de abril de 2013

(Diário de Santa Faustina, 1317).

Se a alma não praticar a misericórdia de um ou outro modo, nao alcançará a Minha misericórdia no dia do Juízo. Oh! se as almas soubessem armazenar os tesouros eternos, não seriam julgadas, antecipando o Meu julgamento com obras de misericórdia"

O Piedoso Uso do Véu


·         Publicado por Paulo Vinícius Costa Oliveira em 23 março 2013 às 0:31 em Liturgia Gregoriana

Por que usar véu?
O uso do véu, também chamado de mantilha, tem sido um costume da Igreja desde sua instituição. Recomendado pelo Apóstolo Paulo, há várias razões que aconselham seu uso.
Quando uma mulher cobre sua cabeça na Igreja Católica, simboliza sua dignidade, e humildade diante de Deus. A mulher que cobre sua cabeça na presença do Senhor Jesus no Santíssimo Sacramento está lembrando para si mesma que diante de Deus se deve ser humilde.

O véu cobre o que o Senhor, na Sagrada Escritura, chama de “a glória da mulher”, o seu cabelo. Cobrir seus cabelos é um gesto que a mulher faz espiritualmente para “mostrar” a Deus que reconhece que sua beleza é menor que a dele e que a glória Dele está muito acima da sua, simbolizando assim sua vontade de se manter velada para que só Deus seja glorificado. 

O véu simbolicamente motiva a mulher a “inclinar” a cabeça em oração, a abaixar o olhar diante da grande e misteriosa beleza e poder de Deus no Santíssimo Sacramento. Pela inclinação da cabeça e pelo abaixar dos olhos, ela está mais apta a adorar a Deus na capela interior do seu coração, sua alma.
O véu que a mulher usa lhe confere um belo senso de dignidade. Quando ela o usa, ela se identifica com a maior criação de Deus, a Bem-Aventurada e Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus.

As mulheres devem perceber que a imitação de sua Mãe Santíssima pelo uso do véu e por outras virtudes é um pequeno sacrifício a ser feito a fim de crescer na compreensão espiritual da fé, na submissão e do amor.

O piedoso uso do véu pela mulher na Igreja é um surpreendente lembrete de modéstia, edificante não só para quem o usa mas também para todos  os que o notam.

Na Sagrada Liturgia, cobre-se delicadamente a dignidade dos diversos elementos litúrgicos: o véu frontal que cobre o Sacrário, o véu que cobre o cálice e o cibório, a toalha branca que cobre o altar, a casula que cobre o sacerdote que oferece o Santo Sacrifício da Missa.

Assim é o véu que cobre a mulher, chamada a ser pela Sagrada Comunhão, de forma especial, como a doce e bela Virgem Maria: Sacrário vivo do Corpo de Deus.
Na prática
Pode-se usá-lo como sacramental após ter recebido a devida benção sacerdotal. Não há uma regra sobre a cor, mas costuma-se usar branco para as moças e preto para as senhoras casadas, viúvas ou definitivamente solteiras. Os véus coloridos não são proibidos, mas se deve usar de bom senso e evitar cores berrantes, que chamem a atenção e distraiam os fieis durante a Missa. O uso do véu é aconselhado, além das celebrações dos sacramentos, na visita ao Sacrário e nos diversos atos de piedade realizados na igreja.
Oração ao vestir o véu
Divino Espírito Santo, hóspede da minha alma, convencida de que a  minha verdadeira vida está escondida com Cristo em Deus Pai, visto este véu na minha cabeça na esperança não de aparecer, mas de desaparecer, não para atrair a atenção sobre a minha pessoa, mas para esconder-me na imitação de Maria Santíssima.
Que todos olhem para Vós Deus Pai, Filho e Espírito Santo,
Amém.
(Um monge sacerdote)

"Os fiéis são dignos de louvores quando se agregam a associações fundadas ou, pelo menos, recomendadas pela Igreja. Evitem, porém, associações secretas, condenadas, sediciosas, suspeitas ou que tentam subtrair-se à legítima vigilância da Igreja." (Cânon 684) "Quem não é por Mim, é contra Mim, e quem não congrega comigo, dispersa" (Mt 12,30).

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Diário de Santa Faustina.




“ Minha Filha, fica sabendo que os maiores obstáculos à santidade são o desânimo e a inquietação infundada.
Eles te impedem de praticar a virtude. Todas as tentações juntas não deveriam, nem por um momento, perturbar a tua paz interior.
Não devem nunca desanimar-te,  mas esforçar-te para que em lugar do amor próprio possa reinar o Meu amor. Portanto, TEM CONFIANÇA, Minha Filha; não deves desanimar. Vem buscar o Meu perdão, pois Eu estou sempre pronto a te perdoar. Quantas vezes Me pedirdes o perdão, tantas vezes glorificarás a Minha misericórdia.” – Diário de Santa Faustina.


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Diario de Santa Faustina...


Fui teu Mestre, sou e serei. Procura fazer com que o teu coração se assemelhe ao Meu Coração menso e humilde. Não reclames nunca os teus direitos. Suporta todas as vicissitudes da vida com grande serenidade e paciência. Não te defendas, quando toda a vergonha recair sobre ti inocentemente. Permite que triunfem os outros. Não deixes de ser boa quando perceberes que estão abusando de tua bondade. Quando for necessário, Eu mesmo reclamarei por ti. Sê grata pela menor graça Minha, porque essa gratidão Me obriga a conceder-te novas graças ( D.1701).
Diario de Santa Faustina


segunda-feira, 8 de abril de 2013

Programa a Hora da Misericórdia 08/04/2013 - Rádio Luz - Santa Rita - Paraguay


“AVE MARIA CHEIA DE GRAÇA O SENHOR É CONTIGO.”
RESPONDAMOS COMO MARIA DANDO O SIM PARA NOSSA VIDA, NÓS TAMBÉM PODEMOS SER MÃE DE JESUS QUANDO FAZEMOS A VONTADE DO PAI,
DIGAMOS TODOS OS DIAS:

EIS AQUI A SERVA/SERVO DO SENHOR, FAÇA-SE EM MIM SEGUNDO A TUA PALAVRA!!!

Irmã Faustina Kowalski, apóstola da Misericórdia de Deus!!!



A Irmã Faustina Kowalski, apóstola da Misericórdia de Deus conhecida em todo o mundo,

é considerada pelos teólogos como uma pessoa que faz parte de um grupo de notáveis místicos da Igreja. Nasceu no dia 25 de agosto de 1905, como a terceira dos dez filhos numa pobre mas piedosa família de aldeões, em Glogowiec (Polônia). No batismo, que se realizou na igreja paroquial de Swinice Warskie, recebeu o nome de Helena. Desde a infância distinguiu-se pela piedade, pelo amor à oração, pela diligência e obediência, e ainda por uma grande sensibilidade à miséria humana. Apesar de ter frequentado a escola por menos de três anos, no DIÁRIO por ela deixado, numa linguagem extremamente transparente, descreveu exatamente o que queria dizer, sem ambiguidades, com muita simplicidade e precisão. Morreu com 33 anos, exatamente a idade de Jesus!


domingo, 7 de abril de 2013

POR: Frei Tiago de São José.

"Busque a perseverança, Jesus foi até o fim, Ele não desistiu no meio do caminho, Ele acreditou e venceu, esperou no Pai, e o Pai o ressuscitou, nós temos que acreditar também, ter essa perseverança, ouvir a palavra de Deus e seguir em frente, e mais, considerar motivo de alegria quando temos essas provações, porque elas fazem parte do trabalho que Deus quer fazer na sua vida."